Terça-feira, 5 de Outubro de 2010

Capítulo 3


Mais Tarde Nessa Noite

 




Alexander: (Saí da minha casa de banho e comecei a vestir-me. A minha cabeça estava presa nos acontecimentos de hoje, eu sei que os desapontei mas eu não consigo evitar. Eu não vou ser algo que não quero. Eu sou o Alex Thompson: o mulherengo, que está sempre em festas, se tu te queres divertir, liga-me. Isso é o que eu sou, desde o colégio eu não quero ficar preso numa sala e mais tarde estar fechado num escritório. O que é que se passou com o “aproveitar a vida”? Eu já estava de pijama e deitei-me na minha cama enorme a olhar para o tecto. Eles queriam que eu fosse como o Jackson, o filho perfeito que foi para Harvard e agora estava a tomar conta dos negócios da família em Nova Iorque. Onde conheceu uma rapariga e se casou, não me levem a mal. Eu não tenho nada contra a minha cunhada Amber, eu só não quero isso para mim. Sempre a mesma rotina. Pensando bem, eu não quero nenhuma rotina. Eu quero uma vida cheia de surpresas, boas surpresas. Até o Oscar, o meu irmão mais novo é um exemplo do que eu devia ser. Embaraçoso? Ele é um pequeno génio, um aventureiro. Ele também foi para a universidade e agora é um daqueles idiotas que se vê na National Geographic. Mas eu não quero isso. Eu quero uma boa vida, e a vida boa vai começar amanhã. Eu esqueci o que os meus pais me disseram e adormeci)




Na Manhã Seguinte

Alexander (Eu acordei quando ouvi o barulho do aspirador no corredor, eu coloquei a almofada na cabeça, mas não parou. Eu estava a ficar zangado, eu odeio ser acordado assim, na verdade, eu odeio ser acordado!): URGH! (Levantei-me a coçar os olhos e olhei em redor do quarto, ainda eram 11 horas, era tão cedo! Eu abri a porta zangado) Porque tanto barulho? (Gritei)
Hannah (Ela olhou para mim e arregalou os olhos): Huh…desculpe Sr. Thompson. Mas eu tenho mesmo de…

Alexander (Eu interrompi quando vi que era ela): Oh, és tu. (Aproximei-me dela e vi o olhar dela assustada) Então, já não me estás a ignorar? (Eu podia dizer que ela estava surpreendida e não sabia o que dizer, eu tenho esse efeitos nas mulheres. Eu sorri maliciosamente)
Hannah: Eu…eu…eu. (Ela gaguejou)
Alexander (Eu sorri e aproximei-me mais dela): Como te chamas? (Tentei tocar-lhe na bochecha)
Hannah (Ela ficou chocada e afastou a minha mão da cara dela): Não me toque! (Zangada)
Alexander (Eu fiquei surpreendido, eu não costumo ser rejeitado pelas mulheres. Mas continuei calmo, eu gosto de desafios): Deixa-me adivinhar… Tens namorado?

Hannah (Ela ficou a olhar para mim como se eu fosse estúpido): Não é da tua conta. Agora se me desculpa, tenho trabalho a fazer. (Ligou o aspirador novamente)
Alexander (Eu revirei os olhos e desliguei o aspirador. Ela olhou para mim chocada): Diz-me só porque é que me evitas!Hannah (Ela respirou fundo): Primeiro, eu não te estou a evitar. Eu só não quero qualquer tipo de relação contigo, tu és meu patrão. Segundo, eu já ouvi falar da tua fama, só estou a evitar uma desilusão. (Começou a trabalhar novamente)Alexander (Eu fiquei lá um bocado chocado, nunca me tinha acontecido isto): A minha fama? (Sorri maliciosamente) Tu é que perdes. (Eu disse um pouco zangado, entrei no quarto e fechei a porta do quarto com força)
Hannah: (Ela respirou fundo quando ele entrou e voltou a trabalhar)



Horas Depois












I






sabella (Eu estava no meu segundo turno, hoje em dia eu faço tudo para ganhar mais dinheiro. Estava tão cansada e tive de implorar á Sra. Martin para ficar com a Sofia mais umas horas. Eu estava ao balcão, a tentar sorrir para os clientes esfomeados, senão o meu patrão dava-me na cabeça… outra vez. Vi um homem da minha idade a entrar no café com um casaco de pele, eu sorri): Boa Tarde, em que posso ajudá-lo?
Alexander (Olhei para o menu no canto): Café preto sem açúcar. (Disse com uma voz fria, sem olhar para a rapariga. Eu não estava com humor para conversas da treta)
Isabella (Eu respirei nervosamente, um bocado ofendida pelo tom dele, mas eu não podia responder ou vou meter-me em sarilhos): Lamento imenso, mas a máquina de café avariou hoje. Eu tenho a certeza que podemos encontrar alguma coisa para o servir. (Tentei o meu melhor para ser simpática)
Alexander (Eu fiquei ainda mais zangado): Que tipo de café é este? Sem café? (O meu dia não estava a correr bem. Primeiro a loira que me rejeitou e agora esta “rejeita-me” o café)
Isabella (Eu estava a ficar nervosa): Nós lamentamos imenso mas estamos a fazer o melhor para arranjarmos a máquina. (Ele era tão mal educado, eu queria espetar-lhe um murro!)
Isabella:
* Há aqui algum problema? * (O meu patrão apareceu por trás de mim e eu juro que caiu uma gosta de suor pelo meu pescoço)
Alexander (Eu olhei para o homem zangado): Sim. Eu vim aqui para tomar café, mas acho que me enganei, não há café aqui. (Eu falei um pouco alto, mas não quis saber)
* Huh, nós lamentamos imenso *

Alexander: Sim, sim. Já ouvi essa desta aqui. (Apontei para a rapariga que estava á minha frente)
Isabella: * Huh, Isabella, vai para a cozinha, eles podem precisar de ti * (Eu assenti e andei rapidamente até á cozinha, eu não queria estar perto daquele homem, tão mal educado)



Isabella (Momentos depois vi o mesmo homem sair do café, parecia zangado. Eu respirei fundo, abanando a cabeça e depois disso vi uma cara familiar a entrar, um sorriso formou-se nos meus lábios, eu corri até ela): Tracy!
Tracy (Ela sorriu e abraçamo-nos): Izzie! (Afastamo-nos) Eu senti a tua falta!
Isabella (Eu não podia acreditar que ela estava aqui, eu senti tanto a falta dela.): Eu pensei que só viesses amanhã!Tracy (Ela sorriu enquanto caminhávamos para uma mesa, o café estava vazio): Eu vim num voo mais cedo.
Isabella (Eu estava em frente a ela): Isso é óptimo.
Tracy (Ela riu e depois olhou em redor): Huh, porque é que isto está tão vazio?
Isabella (Eu respirei fundo): Não há café. (Ela olhou para mim de uma maneira esquisita) A sério, a máquina avariou.
Tracy: Oh. (Ela sorriu) Nesse caso eu quero só um sumo de maçã.
Isabella (Eu ri): Claro. (Levantei-me e fui para o balcão)
Tracy: Então, como é que está a Sofia?
Isabella: Huh, ela está bem. (Eu caminhei até ela) Ela anda com muitas dores de estômago, eu estou a pensar em levá-la ao médico.
Tracy: Oh. (O sorriso dela desapareceu) Ela comeu alguma coisa que lhe fez mal?
Isabella (Eu dei de ombros): Ela disse que não… Mas não deve ser nada, certo? (Eu estava preocupada)
Tracy (Ela sorriu um pouco): Certo. (Continuamos a falar)



2 Dias Depois



















Tracy: (Ela entrou no hospital com a mala na mão, foi em direcção á secretaria e perguntou onde era a área de testes. Era o primeiro dia dela como pediatra e ela estava mesmo nervosa)
Kimberly (Ela foi em direcção da mesma secretária, com roupas de enfermeira): A Dra. Adams já chegou? (Ela parecia impaciente)
Tracy (Os olhos dela cresceram de surpresa quando ela ouviu o último nome dela seguido de Dr. Ela ficou mais nervosa e olhou para a rapariga que devia de ter a mesma idade do que ela): Huh, sou eu. (Ela tentou parecer confiante)
Kimberly (Ela olhou para o lado e viu-a, sorriu): Ah está aqui. Siga-me. (Ela disse muito rapidamente) Nós temos poucos médicos estes dias. Problemas com a administração. (Ela explicava) Por isso, precisamos que comece imediatamente. (Ela abriu uma porta) Este vai ser o seu consultório, em conjunto com o Dr. Morgan.
Tracy (Ela entrou, ainda surpresa. Mas tinha de se recompor e começar a trabalhar): Okay…
Kimberly: Oh… (Sorriu) Que estupidez a minha. Eu sou a Kimberly Smith e sou uma das enfermeiras chefe. Eu sei que sou muito nova mas como eu disse nos estamos com falta de pessoal. Então, na primeira semana eu vou ser a tua “guia” no hospital e vou ter a certeza que tu sabes tudo o que precisas para trabalhar. Então eu vou-te deixar aqui para que possas arranjar as tuas coisas e conhecer o espaço. Aqueles ficheiros são do Dr. Morgan, agora também teus. Eu volto numa hora para começarmos a visita guiada. (Ela ia sair mas parou) Oh, e se precisares alguma coisa marca 1 e chama a Kim. (Ela sorriu e saiu, fechando a porta)
Tracy (Ela respirou fundo, sentindo-se nervosa mas tentando esconder. Ela colocou as coisas na secretária, pensando o quão rápido aquela rapariga falava, ela segurou uma risada e foi trabalhar)


Entretanto


Oscar (Ele virou-se e olhou para mim): Para a Índia… (Ele sorriu)
Alexander (Eu fiquei com ciúmes e zangado): Certo… (Murmurei enquanto bebia a cerveja)
Oscar: Tu podias vir se fizesses as coisas bem…
Alexander: Fazer as coisas bem queres dizer: Queimar o meu cérebro com coisas estúpidas e depois arranjar um trabalho “honesto”! (Revirei os olhos)
Alexander (Entrei em casa quase a cair. Fechei a porta meio alto e caminhei até ao meu quarto. A noite passada fui a uma festa e fiquei realmente bêbado. Eu ri com o pensamento, quando cheguei á porta do meu quarto abri a porta e caí no chão, fazendo muito barulho. Eu tentei-me levantar mas não conseguia, eu estava quase a adormecer ali quando senti alguém a carregar-me para a cama, nessa altura eu já estava a ressonar)
Oscar: (Ele respirou fundo e abanou a cabeça. Saiu do quarto e fechou a porta, desiludido)




3 Dias Depois

Alexander (Entrei na cozinha vindo da piscina para beber uma cerveja e vi o Oscar a passar com uma mala, fiquei confuso e segui-o): Onde é que tu vais?



Publicado por - jéssica às 13:55
Link do post | Comenta X) | Adicionar aos favoritos
|
5 comentários:
De Cacau ;* a 5 de Outubro de 2010 às 14:55
Maravilhoso!
Posta Logo!
Beijos!
;*


De Kelly a 6 de Outubro de 2010 às 01:49
Lindo *.*
Posta logo
beijos


De Nie Reis a 6 de Outubro de 2010 às 06:49
Olá!!
Lindo!!
Maravilhoso:)
´

Beijos:D


De L@rA a 6 de Outubro de 2010 às 07:09
amei , pf posta logo
bjos


De Anónimo a 6 de Outubro de 2010 às 14:31
adorei...

posta rapido


Comentar post

Sobre Mim

Posts Recentes

Capítulo 19

vou continuar...

Olá...

Capítulo 18

Capítulo 17

Capítulo 16

Capítulo 15

Capítulo 14

Capítulo 13

Capítulo 12

Arquivos

Julho 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010